Jewish Heritage in Portugal – Belmonte

Os Judeus foram uma das mais importantes comunidades da Península Ibérica durante a Idade Média e Moderna, com um enorme contributo ao nível da astronomia, que permitiu iniciar a nossa expansão marítima, assim como os seus conhecimentos ao nível da medicina e da matemática. O judaísmo português é singular, sobrevivendo no período da Inquisição como cristãos-novos praticando o criptojudaísmo.

Esta viagem irá levá-lo aos pontos mais notáveis da herança judaica, como Belmonte, Guarda e Trancoso numa oportunidade única de descobrir o seu património intimamente ligado à sua cultura, usos e costumes.

Acompanhamento por nosso Autor durante todo o circuito – Ricardo Presumido
(Clique no separador para ler a sua biografia)

PROGRAM

Dia 1 • Lisboa – Castelo Branco – Belmonte

Partida de Lisboa (Gare do Oriente, Plataforma n.º 48), às 09h00, em direção a Castelo Branco, capital da Beira Baixa, onde a comunidade judaica rapidamente se desenvolveu desde 1214, ligada às tradições comerciais e aos ofícios. Visita à Casa da Memória Judaica, um espaço museológico que pretende relatar a presença judaica na cidade, bem como distinguir algumas personalidades como Amato Lusitano ou Afonso de Paiva, entre outros. Continuação para Belmonte, local onde se fixou uma importante comunidade judaica, sobretudo no séc. XV, quando aqui se refugiaram judeus fugidos das perseguições movidas por Castela. Visita ao Museu Judaico de Belmonte que pretende retratar, em particular, a história e a vivência do criptojudaísmo e a história dos Judeus no nosso país e o seu valioso contributo ao nível da cultura, da arte, da literatura e do comércio. Degustação de vinho kosher. Alojamento no Belmonte Sinai Hotel 4*, o primeiro Hotel em Portugal com valências específicas para a comunidade judaica, nomeadamente a nível gastronómico. Neste dia o jantar terá como base a cozinha kosher, a alimentação preparada de acordo com a lei judaica.

Dia 2Belmonte – Guarda – Trancoso – Sabugal – Belmonte

Saída em direção à Guarda e visita ao centro histórico dentro das muralhas da cidade, onde ainda hoje o antigo bairro judeu existe, perto da Porta D’el Rei. A comunidade judaica da Guarda, que durante o séc. XIV contava entre as 600 e as 850 pessoas, foi durante muito tempo uma das mais importantes comunidades judaicas do país, e também uma das mais ancestrais. Continuação para Trancoso, cidade também marcada pela presença judaica, onde iremos visitar a judiaria, o Centro de Interpretação Judaico “Isaac Cardoso” e a Sinagoga “Beit Mayim Hayim”, inseridos num quarteirão de malha urbana tradicional dentro de muralhas, na área onde se pensa ter sido a Judiaria de Trancoso. Destaque para um dos mais emblemáticos edifícios da cidade, a Casa do Gato Negro, que tem inseridas na fachada as Portas de Jerusalém e o Leão de Judá, entre outras esculturas. Prosseguimento para Sabugal, cidade fronteiriça com presença judaica desde o séc. XIII. Dezenas de marcas judaico/religiosas persistem no centro histórico intramuralhas da cidade muito próximo do castelo. Visita à Casa da Memória Judaica, que relata a presença judaica no concelho sabugalense. Regresso a Belmonte. Alojamento.

Dia 3Belmonte – Lisboa

Manhã dedicada a Belmonte, terra portuguesa de importante presença judaica, destacando-se por ter sido um caso singular, no território peninsular, na permanência da cultura e da tradição criptojudaica desde o início do séc. XVI até aos dias de hoje. Visita ao castelo e, a partir do largo, descemos a calçada romana para entrar na antiga judiaria percorrendo as casas das ruas Direita e Fonte da Rosa, onde se podem ver os umbrais das pequenas casas de granito e marcas na pedra, testemunho destes judeus obrigados a viver a sua religião em segredo. Visita à Sinagoga “Bet Eliahu”, edificada sobre um promontório cuja estrutura arquitetónica interna obedece a dois postulados tradicionais: a orientação do edifício para Jerusalém e a separação entre homens e mulheres na sala de orações, sendo a galeria do piso superior destinada às mulheres. Visita ao Museu dos Descobrimentos: à Descoberta do Novo Mundo. Regresso a Lisboa. Fim da viagem e dos nossos serviços.

Pinto Lopes Viagens RNAVT no. 2070

 

PREÇO POR PESSOA EM QUARTO DUPLO
Valor Final – 395€

SUPLEMENTOS: Quarto individual – 50€

SINAL: 120€

 

INCLUI

– Circuito em autocarro de turismo;
– Alojamento e pequeno-almoço no hotel mencionado ou similar;
– Pensão completa, desde o almoço do 1º dia ao almoço do último (3 almoços e 2 jantares);
– Bebidas às refeições;
– Degustação de vinho kosher;
– Acompanhamento por nosso Autor durante todo o circuito – Ricardo Presumido;
– Guia local na Guarda;
– Entradas mencionadas no programa;
– Taxas hoteleiras, serviços e IVA.

EXCLUI

– Opcionais, extras de caráter particular e tudo o que não estiver mencionado como incluído.

– Viagem, em geral, adequada a pessoas de mobilidade reduzida e/ou grávidas. Caso existam necessidades especiais deverá contactar-nos.
– Em caso de rescisão pelo Cliente, o mesmo será responsável pelos custos e encargos decorrentes do cancelamento que sejam imputados à agência e resultem da não reafectação da referida viagem.
– A realização da viagem depende de um número mínimo de 25 viajantes, caso tal número não seja atingido será o cliente informado no prazo previsto nas condições gerais.

Historiador, Pós-Graduado em História Contemporânea pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Ricardo Presumido tem-se dedicado à Memória e ao Ensino do Holocausto, sendo fundador e Vice-Presidente desde 2009 da Memoshoá – Associação Memória e Ensino do Holocausto.

Ricardo Presumido participou em diversos Congressos nacionais e internacionais sobre a presente temática, destacando a sua participação na 8ª Conferência Internacional, Telling the Story, Teaching the Core que teve lugar no Yad Vashem em Israel, de 18 a 21 de Junho de 2012 e ainda na Conferência Portugal e o Holocausto: Aprender com o Passado, Ensinar para o Futuro que decorreu nos dias 29 e 30 de Outubro de 2012 na Fundação Calouste Gulbenkian. Ao longo da sua carreira docente tem participado em várias conferências, formações e projetos sobre a temática no ensino básico, secundário e universitário, tendo sido professor convidado no Curso de Formação Avançada em Memória Cultural: A Memória do Holocausto na Cultura Europeia de 8 de Fevereiro a 31 de Março de 2012 na Universidade Católica Portuguesa.

Dinamizou também o Ciclo de Cinema: Imagem e Memória, sobre a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto que conta já com quatro edições, uma parceria entre a Memoshoá, a Câmara Municipal de Cascais e a Fundação D.Luís I.

Nos últimos anos organizou ainda Seminários sobre Rodas, viagens históricas sobre a Memória do Holocausto na Europa, nomeadamente na Polónia, Alemanha, Europa Central (República Checa, Áustria e Hungria), Bélgica, Holanda e Países Bálticos.